Life Unexpected S1

 

Os anos 90. A década de passagem na cultura, nas artes, na música, na televisão: dos cabelos armados e chumaços nos ombros para os cabelos oleosos e as camisas de flanela, das salva-vidas voluptuosas com os seus mini fatos-de-banho vermelhos a correr pelas praias de Malibu à consagração do código postal mais famoso do mundo, os anos 90 foram, para todos aqueles que os viveram, uma época que traz saudosas recordações. E, para duas pessoas em especial foram também os anos em que tudo mudou.

Um baile da escola, Spin Doctors a tocar no rádio do carro, muita bebida à mistura: eis que, por acidente, surge Lux (Brittany Robertson). Saltamos quinze anos no tempo e temos esta agora adolescente que, durante toda a sua vida, apenas quis ser como os outros, ter uma família e pertencer a alguém, a dar o passo em frente e a reclamar a sua identidade. “Life Unexpected” apresenta-nos então a história de uma rapariga de quinze anos que passou a vida toda a saltar entre famílias de acolhimento sem nunca ser aceite por nenhuma e que agora procura a sua emancipação, tendo para isso de encontrar os pais biológicos: Cate (Shiri Appleby), uma locutora de rádio de sucesso, e Baze (Kristoffer Polaha), dono de um bar que se recusa a sair do estado de permanente adolescência em que sempre viveu.

Emoções ao rubro, dilemas variados e muitas lágrimas no canto do olho, “Life Unexpected” é uma série que surpreende, não tanto pela sua premissa, que não é propriamente inédita, mas sim pelo facto de, saindo do canal CW, conseguir apresentar um produto competente e que nos traz à memória glórias passadas como as saudosas “Gilmore Girls”. Sem conseguir alcançar o nível da sua predecessora, seja ao nível da história, das personagens ou dos diálogos, “Life Unexpected” consegue, graças a um elenco extremamente competente onde se destaca Brittany Robertson, cativar-nos e fazer-nos regressar, semana após semana, a Portland para mais aventuras deste trio.

Por vezes melosa demais, puxando à lágrima fácil ad nauseum, e com os inevitáveis triângulos amorosos – perpetuados certamente na segunda temporada, para desespero dos espectadores e de Ryan (Kerr Smith) -, a retirar alguma da qualidade das histórias, é bom ver que, depois da formula repetida até à exaustão dos primeiros episódios, a primeira temporada tenha conseguido evoluir e que os desabafos tão importantes de “Family Therapized” ou a assinatura final de “Love Unexpected“, que dá a esta família pouco convencional aquilo com que tanto sonhou, esta série tem ainda muito para oferecer e que a renovação, mais do que merecida, é muito bem vinda.

Nem muito boa nem muito má, “Life Unexpected” é uma série que, embora não saia da sua zona de conforto, acaba por ser uma boa distracção por entre os dramas mais pesados que o outono nos traz. E isso, por vezes, é mais do que suficiente para nos fazer a ela regressar.

Anúncios

One thought on “Life Unexpected S1

  1. Ola. :).. Novo por aqui, acho o site muito interessante.
    Não conheço esta serie, mas foi um motivo para experimentar deixar aqui um comentário.
    :-).. no entento “devoro” todos os tipos de Series, que tenham um minimo de interesse.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s