Chuck S1

 

Hi, my name is Charles Bartowski, but you can call me Chuck.
Those are my shoes, this is my life. It’s filled with spies, car chases, computer-stealing ninjas and me saving the day.

Depois de uma temporada recheada de desilusões, a vontade de desistir das novas séries e de ficar pelas caras conhecidas crescia a olhos vistos. E se a disposição já era pouca, a premissa da nova série da NBC não augurava nada de bom: Chuck (Zachary Levy) é um nerd que vê a vida passar na secção de reparação de computadores do hipermercado local. Entre jogos de computador, filmes de ficção científica e conversas geeks com o melhor amigo Morgan (Joshua Gomez), não tem tempo para se dedicar às mulheres, algo que deixa a irmã Elli (Sarah Lancaster) desesperada. Mas, de um dia para o outro, a vida de Chuck sofre uma reviravolta, quando um fantasma do passado transfere toda a informação que reside nos servidores da CIA e da NSA directamente para o seu cérebro. De falhado a computador ambulante, Chuck vai ter agora de aprender a sobreviver no excitante mundo dos espiões, com a preciosa ajuda dos agentes secretos Sarah Walker (Yvonne Strahovski) e Jayne – perdão, o Major John Casey (Adam Baldwin) -, enquanto mantém o seu disfarce na loja de computadores.

Uma premissa idiota? Certamente. Cenas de acção pouco credíveis? Sem sombra de dúvida. Efeitos especiais que não estão ao nível do que melhor que se faz no género? Infelizmente, sim. E, no entanto, mesmo com todos estes problemas (ou, quem sabe, graças a eles), Chuck conseguiu transformar-se numa das melhores estreias da temporada 2007/2008.

Prova de uma boa série, é a sua capacidade de nos surpreender semana após semana, de desafiar convenções e de se superar. Se os primeiros episódios provam ser mais fracos, ao longo da temporada Chuck consegue afirmar-se como uma comédia de acção levezinha, onde histórias absurdas, como a apresentada em Chuck Versus The Helicopter, convivem com outras mais próximas da realidade, como toda a trama dos conflitos laborais dentro do BuyMore que culmina em Chuck Versus The Alma Mater. E se a história principal não está ao nível do melhor que se faz por essa televisão fora, são as grandes interpretações por parte de todo o elenco, dos protagonistas aos actores secundários, sem esquecer os actores convidados como Rachel Bilson em Chuck Versus The Thruth e Matthew Bomer em Chuck Versus The Nemesis, que marcam a diferença nesta série.

Sem nunca tentar ser mais do que é, a verdade é que Chuck consegue, pouco a pouco, conquistar os espectadores que não tenham medo de suspender por alguns momentos toda e qualquer ligação à realidade, e que queiram deliciar-se com as incríveis aventuras destas personagens pouco convencionais. Quem sabe, talvez venham a descobrir também desse lado, aquilo que por este surpreendeu: que Chuck é uma das séries mais aguardadas semana após semana. 

Advertisements

5 thoughts on “Chuck S1

  1. O grande trunfo é o elenco. Divertido, giro, dinâmico, sexy etc etc. É irresístivel.

    E as personagens secundárias – os colegas de Chuck no trabalho, por exemplo – acrescentam comic reliefs de qualidade. Não estão lá só para encher chouriços.

    Beijinhos Syrin!

  2. Olá! Tambem escrevi á pouco tempo um comentario sobre a 1º temporada de Chuck, que foi demais. Mal posso esperar pela segunda. Adoro todos os personagens, cenarios, dialgos «, etc. muito bom mesmo. Abraço

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s