K-Ville

kville_logo.jpg

Laissez les bons-temps rouler

Num imaginário há muito alimentado pela banda desenhada, New Orleans tornou-se numa cidade de sonho: de noite, um lugar misterioso, cheia de brumas, crime e personagens ambíguas; de dia, uma cidade amistosa, aberta aos seus visitantes, recheada de cor, de música. Assim permaneceu, durante vários anos, até ao fatídico verão de 2005. Até que a realidade se impôs à fantasia; até que o furacão Katrina destruiu por completo a imagem idílica.

Dois anos depois do eventos do Furacão Katrina, uma cidade tenta reerguer-se das águas, e cabe ao Departamento da Polícia de New Orleans controlar a criminalidade que continua a assolá-la. Longe dos ratos de laboratório e das máquinas high-tech das séries actuais, K-Ville é um policial à moda antiga, com dois polícias durões, Marlin Boulet (Anthony Anderson) e Trevor Cobb (Cole Hauser), que percorrem a cidade a alta velocidade em busca de criminosos. Entre perseguições, tiroteios, copos e interpretações pouco entusiastas dos restantes companheiros de elenco, como John Carrol Lynch no papel do Capitão James Embry, ou Tawny Cypress e Blake Shields, nos papeis de LoveTap e Glue Boy, respectivamente, esta série poderia ter sido apenas mais um fracasso da FOX.

Mas por entre todas as suas fraquezas, não obstante a grande dificuldade que é escrever algo de novo num género já por demais ficcionalizado, há algo que distingue K-Ville das outras séries – a sua estreita ligação à cidade que a acolhe. Sem pudor (ou, pelo menos, tanto quanto um canal de sinal aberto permite), K-Ville mostra-nos a verdadeira face da Nova Orleans de 2007: destruída, pobre, sem grandes expectativas de futuro, tentando lutar contra ressentimentos passados. Longe dos dramas pessoais das personagens, ou mesmo do pouco convincente passado de Cobb, é nas histórias verídicas da cidade que a série se destaca. A tensão nas ruas, vestígio do abandono a que a população foi submetida no final do desastre, marca todos os episódios, dentro e fora da esquadra – afinal, não foram apenas os civis que fugiram quando as cheias galgaram os muros, como se prova com a história de Charlie Pratt (Derek Webster) – mas é a determinação com que os sobreviventes se dedicam à reconstrução das suas comunidades que deixa uma réstia de esperança para o futuro.

Com uma recepção pouco entusiástica desde o primeiro episódio, o destino de K-Ville estava há muito definido. A aposta não foi ganha… mas pelos menos conseguiu mostrar, em apenas dez episódios, aquilo que muitos insistem em mascarar: a actual face de New Orleans, com todos os seus vícios e virtudes.

Advertisements

4 thoughts on “K-Ville

  1. Tive para começar a ver mas o Anthony Anderson afastou-me da série. Felizmente peguei no Life on Mars (também como sugetão aqui da casa) e gostei dos dois primeiros episódios que já vi. Vamos lá ver agora se não começa a dar para o torto.

    Beijinhos 😉

  2. Eu nem desgosto do Anthony Anderson, mas dos dois protagonistas, até o considero o mais natural. 😉
    Mas é como eu digo, o melhor da série não são as personagens.

    Quanto ao Life on Mars, espero que gostes. As séries britânicas têm a vantagem de ter poucos episódios, o que significa que nunca começam a cansar. O problema é quando queremos mais, e não há.

    Ah, e já agora… E Spaced, já experimentaste? Vale muito a pena, especialmente para fãs de cinema! 🙂

  3. K-Ville foi uma das minha séries favoritas deste ano. AO contrário do tvfiles acho que a interacção entre as duas personagens principais resultou bem.
    Era daquelas séries que nunca poderiam ir muito alto, pelo menos pela dinâmica e decisões feitas na 1ª série, mas o que fizeram fizeram-no bem.

    O Life on Mars é bom, mas nada bate os calcanhares de Spooks. AS séries são sempre a subir de qualidade.

  4. A tvfiles. 😉 Ou syrin, já agora.

    Life on Mars é excelente, Spooks nunca experimentei – deu no People & Arts, mas nunca consegui seguir uma série por lá. Tenho de ver se experimento. Obrigada pela sugestão. 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s