Wonderfalls

wonderfalls1.jpg

Há séries muito boas que ganham algum reconhecimento. Há séries muito boas que passam despercebidas. E depois há aquelas verdadeiras pérolas que permanecem escondidas porque alguém não lhes sabe dar o verdadeiro valor. Wonderfalls é uma dessas pérolas, cancelada ao final de apenas quatro míseros episódios, mas que é uma lufada de ar fresco entre as séries do costume.

Jaye Tyler (Caroline Dhavernas) é uma jovem que trabalha numa loja de souvenirs nas Cataratas de Niagara Falls e que vive num parque de caravanas. Como muitos outros filhos da geração Y, tirou um curso completamente dispensável (Filosofia, é claro), e não se preocupa em dar um rumo à sua vida, desapontando imensamente os seus pais Darrin (William Sadler), um cirurgião de sucesso e Karen (Diana Scarwind), uma popular autora de guias de viagens. A vida de Jay divide-se entre fugir da sua família bem intencionada, irritar os dois irmãos mais velhos Sharon (Katie Finneran), uma advogada de sucesso, e Aaron (Lee Pace), doutorando em Teologia, e lançar comentários sarcásticos no trabalho, enquanto ignora os turistas.

Mas a vida calma de Jaye vai mudar para sempre quando os animais da loja de souvenirs começam a falar com ela. De um momento para o outro, esta sarcástica rapariga é obrigada a ajudar desconhecidos ou enfrentar a fúria musical dos animais da loja. As suas tarefas vão desde arranjar um namorado à irmã, dar voz a uma desconhecida ou consertar casamentos, para grande espanto da melhor amiga Mahandra (Tracie Thoms) e deleite do novo empregado do bar, Eric (Tyron Leitso) Infelizmente, os animais apenas comunicam de forma enigmática, o que vai obrigar Jaye a dar voltas e voltas até descobrir qual a sua verdadeira missão.

Com esta história de fundo, Wonderfalls não parece ser melhor do que tantas outras comédias que são lançadas todos os anos, mas a verdade é que tem qualquer coisa de especial. Os grandes diálogos e tiradas sarcásticas dão vida às personagens criadas por Tom Minear e Bryan Fuller e ao longo dos 13 episódios da série todos têm a sua oportunidade de brilhar. Mas em primeiro plano está sempre a actuação de Caroline Dhavernas, que nos consegue fazer rir às gargalhadas num momento, e quase levar às lágrimas quando a história não corre bem à personagem principal.

Assumindo-se como uma série diferente, leve e descontraída, não deixa mesmo assim de tocar em temas sérios e/ou controversos, encarando-os sempre com uma naturalidade que muitos gostavam de conseguir. Avizinhavam-se grandes planos para as temporadas futuras, mas mais uma vez as audiências falaram mais alto e a história de Jaye ficou-se pelos 13 episódios, com um final um pouco apressado mas, ainda assim, divertido.

Advertisements

7 thoughts on “Wonderfalls

  1. Pingback: Pushing Daisies S1 « Tv-Files

  2. Eu tava a contar ver Alias depois de Buffy, mas parece que vou ter que ver essa série primeiro, assim como Dead Like Me. Vou ver se arranjo os episódios, sou fã do Bryan Fuller.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s