Heroes S1

35666.jpg

In recent days, a seemingly random group of individuals has emerged with what can only be described as “special” abilities.

Although unaware of it now, these individuals will not only save the world, but change it forever. This transformation from ordinary to extraordinary will not occur overnight. Every story has a beginning.

Volume One of their epic tale begins here…

Em Nova Iorque, Peter Petrelli (Milo Ventimiglia) sonha que pode voar e escapar para longe de uma família que o pressiona; em Las Vegas, Nikki Sandres (Ali Larter) tenta cuidar do seu filho e lutar contra os fantasmas do passado que a parecem perseguir; no Texas, Claire Bennet (Hayden Panettiere) desafia as leis da ciência; no Japão Hiro Nakamura (Masi Oka) acredita poder um dia mudar o mundo e tornar-se num verdadeiro herói; e na Índia Mohinder Suresh (Sendhil Ramamurthy) tenta desvendar os mistérios de um pai que perdeu.

Todas estas pessoas normais estão prestes a descobrir que são especiais, que têm poderes que não compreendem e que muitas vezes não conseguem controlar. Todas estas pessoas estão interligadas, irão cruzar-se ao longo das semanas e descobrir qual o seu papel neste conflito.

Para um fã de banda desenhada, nada nesta série é novo. Rising Stars, X-Men e Watchmen, referências a Star Trek e a Star Wars, com um cheirinho a teorias de conspiração saídas dos Ficheiros Secretos, esta série não é, de longe, a mais original de todos os tempos. E, no entanto, a sua originalidade foi ter apostado em trazer estas histórias ao pequeno ecrã, sem preconceitos e honrando as longas tradições em que se basearam.

A série prometia imenso, e mesmo com alguns altos e baixos (que raio de season finale é aquele??), a primeira temporada é excelente. Episódios como Fallout, Company Man e Five Years Gone, com abordagens tão diferentes, conseguem agarrar-nos ao ecrã. Os mistérios por resolver são mais do que muitos: que importância teve o eclipse para o nascimento destes “heróis”? Qual o significado do misterioso símbolo? Quais os planos da geração anterior? Como é que a maldita franja do Peter aguentou tantos episódios?

Infelizmente, o Volume Dois ainda está longe, mas entretanto podemos ir-nos deliciando com os e-comics que, pelos vistos, trazem algumas surpresas. (Aos geeks assumidos recomendo a discussão sobre viagens no tempo, universos paralelos, erros de continuidade e string theories!. Um must.) Até Outubro… save the cheerleader, save the world.

‘Nuff Said

Anúncios

4 thoughts on “Heroes S1

  1. Estou a acompanhar pela TVI, estou a 3 episódios do fim.

    Para mim, é uma das melhores séries da actualidade, uma das mais inteligentes, graças a todas as metáforas que as suas histórias representam; parte-se da premissa “sobrentural” dos super-heróis para algo completamente banal como as angústias e os traumas que são comuns a cada um de nós.

    Espero não me desiludir com os episódios finais. 😉

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s